Criminoso ameaça infectar família com coronavírus e pede Bitcoin para não espalhar doença

Uma família norte-americana corre o risco de ser infectada pelo coronavírus de forma criminosa, após receber uma grave ameaça por email, que pedia pede ainda um pagamento em Bitcoin. A informação é WBFF, emissora de TV afiliada da Fox em Maryland (EUA). 

O pagamento em criptomoedas seria a única forma da família ameaçada escapar do contágio da doença mortal, segundo a intimidação enviada pela internet. No entanto, eles decidiram não pagar o valor exigido pelos criminosos.

Autoridades investigam o caso depois que Paul Walterhoefer decidiu procurar ajuda. A vítima que recebeu o email conta que pensou em toda a família sendo infectada com o coronavírus.

Paul vive em Ellicott City, em Maryland nos Estados Unidos, com as três filhas e a esposa. O norte-americano também ficou preocupado com mãe, considerada grupo de risco e que está com 93 anos atualmente.

Família ameaçada por coronavírus

Cinco pessoas da mesma família foram ameaçadas por uma fraude pela internet que utiliza o pânico mundial causado pela disseminação do coronavírus. Os familiares de Paul Walterhoefer seriam infectados com a doença, caso ele não cumprisse com o pagamento de US$ 4.000 em Bitcoin.

O norte-americano recebeu a intimidação por email e decidiu não pagar o valor exigido em criptomoedas. Temendo por sua família ser infectada com o coronavírus, Paul denunciou a mensagem recebida ao Procurador Geral de Maryland.

Sem pagar o resgate em Bitcoin, a vítima do golpe explicou que foi ameaçado duas vezes por email. Em entrevista, ele menciona que pensou nas três filhas quando a mensagem citou o contágio proposital do coronavírus.

“Quando você está ameaçando a família de alguém, temos um problema. Essa é a ‘fim da linha’. Quando você tem três filhas como eu, isso não é bom.”

A denúncia sobre o caso mostra que o email fala ainda sobre ‘segredos’ relacionados ao norte-americano ameaçado. Além da transmissão da doença, o criminoso orienta que possui dados importantes de todos os familiares, como senhas de acesso a sites na internet, por exemplo.

Resgate em Bitcoin e fraudes envolvendo a doença

O mundo segue apreensivo em relação a disseminação do coronavírus. Países como a Itália e a Espanha, por exemplo, lutam contra o expressivo aumento do número de mortes, sendo que no Brasil já foram registrados 57 óbitos até esta quinta-feira (26).

O avanço da doença também mostra que golpes envolvendo o coronavírus crescem de forma alarmante na internet. Até mesmo o nome da Organização Mundial de Saúde (OMS) sofreu uma tentativa de golpe associado ao coronavírus no Twitter.

Conforme noticiou o Cointelegraph, criminosos criaram perfis falsos em nome da Organização para pedir doações em Bitcoin para o combate ao COVID-19. Em outros casos, sites com informações sobre o coronavírus são utilizados como ‘isca’ para espalhar malwares e roubar saldo em criptomoedas.

No caso de Paul Walterhoefer, que foi intimidado por email, o resgate em Bitcoin deixou de ser pago sem que a ameaça fosse concretizada. Autoridades responsáveis pelo caso orientam que centenas de pessoas que vivem no estado de Maryland receberam ameaças desse tipo, mencionando o coronavírus e pedindo resgate em Bitcoin.

LEIA MAIS: Exchange brasileira OmniTrade anuncia fim das atividades devido a crise econômica causada pelo coronavirus
LEIA MAIS: Coronavírus faz CVM adiar prazos e suspender regularização de atividades sancionadas

Source